domingo, 13 de junho de 2010

Das nuvens


As nuvens não são de algodão não. Quanto menos doce... São ar, mas que inutilidade! Acumulam gases que mais tarde precipitarão em gotas. Absorvem as mágoas humanas elevadas aos céus e as transforma em vida - pra toda espécie de ser. Tapam o rei Sol, o que me faz agradecer nos momentos mais quentes do dia. Fazem com que crianças deitadas na grama, façam delas imagens de animais. Nos faz exercitar a imaginação. Mas que abuso! Que coisa! São tão nada.



Quero ser nuvem...


LíviaMacedo

6 comentários:

Beatriz Amorim disse...

Muito bom! (:

Gaby Soncini disse...

Que lindo *.*

Tem selo no meu blog pra você.

Beijoss!

Pâmela Grassi disse...

Lívia,

As nuvens abusam de possibilidade de voos! No céu versam lágrimas ao enxugarem nossas tristezas, mas as devolvem nos deixando molhados e molhadas,

gostei da simplicidade e da sua perspectiva poética diante de coisas cotidianas que passam despercebidas,

um beijo

nas entrelínguas disse...

...se dissipam pra nos iludir, e se formam mais adiante...

blocodoeusozinho disse...

Você é luz, Livia. Uma luz que não produz sombra e que além de luz, é propria de iluminar grandes caminhos, E EU TE AMO.

iracema forte caingang disse...

Belas palavras,simples e profundas.
Tudo de bom mil beijos

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails